BENEFÍCIOS DO CHAMPÔ COM/SEM SAL

No nosso artigo de 17/12/2020 chamámos a atenção para os champôs sem sal. Entretanto
fomos questionados e quisemos aprofundar mais este assunto, inclusivamente para um maior
esclarecimento pessoal e também de quem nos segue.


O sal mais conhecido é o sal de cozinha (cloreto de sódio) e que é utilizado por muitos
fabricantes como espessante, tem propriedades ao nível de pH e sabemos que é bastante
inócuo em termos de saúde, pois é muito bem tolerado ao nível da pele.


Comercialmente é vulgar encontrar a designação “sem sal” o que, na prática é passível de
crítica, pois existem vários tipos de sal conhecidos por outras designações e que em muitos
casos pode não estar presente especificamente pela sua designação, mas presente na
formulação de outras matérias-primas.

 

Mas qual o porquê da utilização publicitária do uso ou não do sal?


Os diversos tipos de sal, são detergentes tensioativos que podem ser naturais ou sintéticos e
que dependendo do tipo possuem maior ou menor capacidade de limpeza e de emulsão. De
forma bastante genérica, o seu objetivo é o de através da espuma que formam, poderem
realizar a separação da sujidade. Na prática, depende da combinação dos vários ingredientes
para o melhor resultado imediato visível ou em muitos casos menos visível, mas mais corretor
com o tempo e uso, da matéria-prima (cabelo ou pele) em que se está a trabalhar.


Em 2019 foi adotado a nível da comunidade europeia, um esclarecimento sobre os
Regulamentos 655/2013 e 1223/209 com transposição e vinculação nacional a partir de
01/07/2019 (C.I. 097/CD/550.20.001 do Infarmed) sobre publicidade nos rótulos, em que
clarifica critérios comuns para a justificação das alegações relativas a produtos cosméticos.
Assim a informação sobre a inclusão ou ausência de alguns dos componentes em muitos casos
inócuos poderão com o tempo ter a sua metamorfose e desaparecerem. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

x