Como são aplicadas as perucas?

Como são aplicadas as perucas?

Os exemplos na internet de próteses a descolarem têm fundo verídico?

É recomendado desde já, indicar que existem vários tipos de prótese e que estas não são perucas!

Da mesma forma é importante temos em atenção outros fatores: as próteses são completas ou parciais; qual o tempo de uso entre manutenções; são de tule; micropele ou mistas; qual a naturalidade pretendida?

Enfim algumas questões que justificam a escolha a realizar.

Sem me alargar muito na explicação e tentando ser o mais conciso possível, vou por partes:

  • Perucas vs próteses. As perucas são sistemas completos (seja peruca, meia peruca ou postiço), porque normalmente não necessitam de ser cortados nem ajustados. A prótese (também conhecido de forma depreciativa por capachinho) é um sistema de aplicação à medida da calvície do cliente de forma a que haja uma integração perfeita em termos de cor, penteado e densidade de acordo com a idade. Portanto e apesar de poderem ser totais (casos de alopécia universal), na grande maioria dos casos são parciais.
  • Tipos de base, existem vários tipos de material e dentro destes ainda diversas variantes para se obter maior ou menor naturalidade. Existe o poliuretano, existem tules de vários tipos, existe a mistura de ambos os sistemas, existe a mistura de diferentes tules e naturalmente com toda esta diversidade é difícil apresentar soluções únicas. Pessoalmente sempre gostei pela sua naturalidade, peças mais finas, preferencialmente em monofilamento (1 a 3 fios por implantação) e com tule fino semitransparente pois em contacto com a pele, ficam impercetíveis. O poliuretano é comum encontrar nas próteses com diferentes densidades (grossuras) podendo variar a sua duração entre 1 mês (micropele) e 1 a 2 anos.
  • Tempo de uso entre manutenções é variável de acordo com o tipo de aderência. No caso das perucas é comum utilizar autocolante ou cola mas apenas nas de tule frontal e normalmente em perucas afro. Uma vez que a peruca é de fácil colocação (possui sistemas internos de aperto para evitar que se solte) pode ser colocada e retirada diariamente não necessitando de adesivo. Nas próteses, o tempo entre manutenções tem diretamente a ver com o tipo de aderência utilizada, podendo variar entre 24horas e 6 semanas podendo o utilizador realizar a sua vida perfeitamente normal como desporto, piscina, duche, etc. As únicas situações a que se deverá estar atento é uma maior quantidade de transpiração ou locais de grandes amplitudes térmicas, nomeadamente em calor, que influencia a resposta do organismo. Portanto, se por um lado o material em que é preparado o sistema é importante, a frequência prevista para a sua manutenção é primordial na escolha da aderência mais adequada.
  • Tipo de material-fibra ou cabelo natural. Uma das questões sempre mais polémicas é o tipo de material que se usa. Hoje já existem fibras que permitem a secagem do cabelo como se fosse o próprio cabelo natural e existe cabelo descamado que evita que embarace com tanta facilidade, mas também não permite fazer determinados trabalhos para além de se deteriorar muito rapidamente. Portanto, fibra ou cabelo natural? Depende muito do fabricante, do seu conselheiro e da confiança e experiência que ele tem com o material, qual o uso que se vai dar, quais os cuidados que o utilizador está disponível para ter. Qual a frequência da manutenção e a ida ao profissional. Nada é eterno, mas o cuidado que se coloca em material tão sensível como este, é muito importante.
  • Um dos fatores mais importantes a nível pessoal é a naturalidade. Existia um anúncio na tv nos anos 70/80 em que apresentava 2 homens com cabeleiras diferentes e o non-sense (dentro do que seria expectável) de cada um deles se apresentar com cabelo muito encaracolado ou não. Lembra-se? Pois é neste sentido que falo da naturalidade: assim como um jovem de 70 anos não se deve apresentar com uma larga e farta cabeleira e negro escuro, também um jovem com 20 anos não terá apenas alguns cabelos soltos e brancos, é uma questão de lógica para os parâmetros atuais em que os primeiros indícios de calvície começam aos 25/30 anos nos homens e em que normalmente as mulheres não perdem o cabelo todo. Existem produtos para as mais diversas opções e um conselheiro de imagem é a pessoa com experiência e formação adequada para atender, recomendar e aplicar o produto perfeito.

Quando alguém fala consigo pela primeira vez, pode reparar nos seus olhos, no seu cabelo (ou a falta dele) ou para a sua roupa, mas quanto maior e melhor for o enquadramento psicológico, maiores as possibilidades de um alinhamento psicológico e a possibilidade de se darem bem, realizarem negócio ou qualquer outra atividade a realizar em conjunto. Portanto a imagem é fundamental e o cabelo é um ponto fulcral nesta relação.

Nota: as informações apresentadas referem-se aos nossos conhecimentos ao longo de 19 anos neste setor de mercado pelo que não representam nenhum tipo de marca nem aconselhamento específico, sendo pretendido apenas e só realizar um esclarecimento baseado na nossa experiência numa das maiores multinacionais mundiais do setor.

gostou? partilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest

Junte-se à nossa newsletter para estar a par das novidades!

posts relacionados

Conheça as nossas MARCAS